Madeixa
Dor no couro cabeludo

Dor no couro cabeludo: confira as causas e sintomas

Dor no couro cabeludo pode ser desencadeada por fatores externos como, por exemplo, poluição e ar seco.

Dor no couro cabeludo, entretanto, também pode ser causada por uso de shampoos agressivos, além de higiene demasiada na região.

Porém, fatores genéticos, mudanças bruscas de temperatura, bem como o estresse e a dermatite de contato também pode desencadear sensibilidade no couro cabeludo.

Tricodínia, a dor no couro cabeludo

A dor no couro cabeludo, chamada de tricodínia, surge espontaneamente, causando a sensação de incomodo, além de dor e ardência no local.

Uma vez que o couro cabeludo é uma região que apresenta muitas terminações nervosas, pode tornar-se bastante sensível, sobretudo, para pessoas que abusam de produtos químicos.

Na maioria das vezes, o desconforta manifesta-se em procedimentos simples como, por exemplo, ao escovar os cabelos.

Porém, às vezes, pode manifesta-se quando o couro cabeludo já apresenta alguma infecção nos folículos capilares.

Ainda também, o incômodo pode aparecer por meio de queda de cabelo na alopecia androgenética, ou seja, calvície e na alopecia areata, doença autoimune.

Quais as causas da dor no couro cabeludo?

A tricodínia é caracterizada pela sensação de dor, coceira, bem como queimação no couro cabeludo. Além disso, pode causar formigamento intenso, que pode ser difuso, assim como localizado.

Acompanhe, a seguir, as principais causas da dor no couro cabeludo.

Coloração e alisadores

De acordo com dermatologistas, uma das principais causar do desconforto no couro cabeludo é o excesso de produtos químicos.

A constante aplicação de colorações, assim como o uso de alisadores a base de formol, que, além disso, é proibido pela ANVISA, deixam a região mais sensível.

A aplicação demasiada de tais produtos pode causar irritação, além de extrema sensibilidade local, desencadeando o quadro de dor.

Dor no couro cabeludo

Secador e chapinha

O uso constante de secador e chapinha também pode provocar dor e sensação de incômodo no couro cabeludo. Além disso, o calor excessivo pode causar danos aos fios, deixando-os quebradiços, bem como ressecados.

Mas, não apenas isso. Quanto os aparelhos são utilizados muito próximos ao couro cabeludo, podem provocar ardência, além de queimação.

Para evitar tais problemas que podem desencadear a tricodínia, o ideal é espaçar o uso dos aparelhos.

Além disso, eles devem ser utilizados pelo menos 20 cm de distância do couro cabeludo, sempre com a aplicação de um protetor térmico.

Cabelo preso pode provocar a dor no couro cabeludo

O uso constante de cabelo preso ou com força excessiva causa tração nos fios. Assim sendo, em pessoas mais sensíveis, esse procedimento simples, pode desencadear a tricodínia.

Além disso, o uso de cabelo preso por longos períodos pode ocasionar a quebra dos fios, assim como a sua queda.

Calvície

A dor no couro cabeludo é muito comum na calvície, principalmente na calvície feminina, que pode estar ligada a fatores genéticos, bem como hormonais.

A tricodínia nas mulheres pode se agravar durante o período de menopausa, assim como naquelas que possuem a síndrome dos ovários policísticos.

O ideal é consultar um profissional para fazer uma avaliação do estado de saúde geral. Dessa forma, ele saberá exatamente identificar os motivos para a dor no couro cabeludo.

Dermatite seborreica

Popularmente chamada de caspa, a dermatite seborreica também pode causar a sensação de desconforto no couro cabeludo, além de dor e queda de cabelo.

A caspa, sobretudo, manifesta-se em virtude do excesso de oleosidade no couro cabeludo, causando ardência, além de descamação.

Exposição solar

A princípio, a dor no couro cabeludo devido o excesso de exposição solar acomete pessoas que possuem fios de cabelo finos, assim como as que sofrem com calvície, além das que têm pouco cabelo.

Além disso, a exposição por essas pessoas aos raios UV, sem proteção, pode provocar queimaduras e, consequentemente, a dor.

A exposição, sem proteção, aos raios UV pode danificar as proteínas do bulbo piloso. Dessa forma, acaba causando a morte dos fios, levando à queda.

Por outro lado, a exposição aos raios UVB gera a perda da integridade das cutículas. Ao mesmo tempo, a exposição aos raios UVA proporciona o clareamento dos fios em virtude da oxidação da melanina.

Foliculite capilar

A foliculite capilar é caracterizada pela inflamação do folículo piloso, ou seja, a região onde nascem os fios de cabelo. É causada, principalmente, por infecção bacteriana ou fúngica.

A infecção manifesta-se pela presença de pequenas espinhas, de ponta branca, em torno de um ou mais folículos pilosos. Embora na maioria dos casos a foliculite seja superficial, ela causa coceira, além de dor.

Dermatite de contato

A dermatite de contato é uma reação inflamatória da pele em virtude da exposição a um agente capaz de causar irritação, bem como desenvolver um quadro alérgico.

A dermatite de contato irritativa é causada por substâncias alcalinas ou ácidas e pode se manifestar no primeiro contato com elas.

A princípio, a dermatite de contato irritativa pode ser causada por shampoos, máscaras nutritivas, assim como condicionadores e sabonetes.

Os principais sintomas são pele seca, vermelha e áspera, podendo ocorrer fissuras na região. Ainda disso, provoca coceira, bem como sensação de dor e queimação.

Dor no couro cabeludo

Alopecia areata

Alopecia areata é uma doença autoimune do couro cabeludo caracterizada pelo ataque inflamatório do bulbo capilar e que provoca a queda de cabelo.

A doença provoca a queda dos fios resultando, frequentemente, em falhas circulares no couro cabeludo ou em outras partes do corpo, uma vez que ela atinge todas as regiões onde existam pelos.

Além disso, a extensão dessa perda pode variar de pessoa para pessoa, podendo ser agravada por fatores emocionais, bem como por quadros infecciosos e traumas físicos.

Como evitar a dor no couro cabeludo

Primeiramente, é fundamental procurar um especialista para fazer uma análise dos principais motivos que ocasionam a dor no couro cabeludo.

Entretanto, algumas mudanças de hábitos, auxiliam a tratar o couro cabeludo, assim como evitar que o quadro de tricodínia se agrave.

  • Lavar os cabelos com água morna ou fria para evitar que a irritação se agrave;
  • Evitar o uso de shampoos com sulfato e dar preferência aos com pH ácido;
  • Não realizar procedimentos como, por exemplo, escova progressiva, com produtos que contenham formol;
  • Não utilizar produtos que contenham parabenos, assim como álcool e fragrância que não sejam hipoalérgicas;
  • Evitar que o cabelo fique muito tempo preso para que os fios não fiquem tracionados;
  • Evitar a exposição solar sem proteção.

Deixe seu comentário!